(21) 3026-6335/2148-2666

Celulite: como tratar com eficiência [Parte 1]

Celulite: como tratar com eficiência [Parte 1]

A celulite, ou hidro lipodistrofia, é uma alteração patológica da hipoderme caracterizada por pequenas depressões na pele, secundárias ao edema e à disfunção venolinfática.

Normalmente, se localiza nos glúteos, abdômen e quadril, podendo também acometer a porção superior dos braços.

De etiologia multifatorial, destacamos a genética, com incidência maior na raça branca, a idade, o sexo (mais frequente em mulheres, por possuírem maior quantidade de gordura corporal), alterações hormonais, estresse (afetando a secreção de hormônios), tabagismo e alimentação inadequada (alta ingestão de gorduras e carboidratos, ingestão elevada de sal e bebidas gaseificadas) como fatores desencadeantes.

Pessoas que já possuam um fator predisponente, e ainda sejam influenciadas pelo meio por um fator determinante, como: fumo, sedentarismo, maus hábitos alimentares, constipação intestinal e disfunção hepática e renal, tendem a ter maiores possibilidades de desenvolvê-la ou agravá-la.

A Nutrição Funcional com abordagem ortomolecular têm um papel fundamental no manejo clínico da celulite, atuando tanto nas causas, como nos seus agravantes.

Para cada caso, há uma conduta distinta, dependendo da presença ou não dos seguintes fatores: efeito tóxico da constipação, acúmulo de gordura localizada, permeabilidade capilar, desequilíbrio hormonal e insuficiência linfática.

Na constipação, por exemplo, o material fecal fica retido mais tempo no intestino, havendo crescimento de bactérias e fungos patogênicos, liberando substâncias tóxicas indesejáveis para a corrente sanguínea, como: metais pesados, radicais livres e toxinas bacterianas derivadas da candidíase, levando a disbiose.

Esse processo de autointoxicação, provocado por uma má alimentação, alergia ou intolerância alimentar, constipação, agrotóxicos, medicamentos ou metais pesados, sobrecarrega todo o organismo, principalmente o sistema linfático abdominal, fígado e rins, provocando o aparecimento da celulite.

A drenagem linfática é uma massagem terapêutica que previne e auxilia no tratamento da celulite, ajuda na limpeza de toxinas formadoras de nódulos de gordura, acabando com o inchaço corporal e aumentando a oxigenação da pele em pouco tempo. A drenagem linfática faz a pele ter uma aparência bem mais saudável e também permite uma melhor circulação do sangue.

Em indivíduos sedentários, há uma diminuição de massa magra, seguido de um aumento de massa gorda, aumento da flacidez dos músculos e tendões. Com isso, há uma redução dos mecanismos de bombeamento nos membros inferiores, inibindo o retorno venoso e, consequentemente, levando ao surgimento da celulite. Contudo, por ser de etiologia multifatorial, mulheres magras também podem apresentar o quadro.

Normalmente, indivíduos portadores de hidrolipodistrofia têm gordura corporal total ou regional aumentada. Logo, mesmo aquelas consideradas magras, com peso dentro da normalidade, devem realizar a avaliação da composição corporal. Se a gordura corporal estiver acima da recomendada, devem fazer correção alimentar para a redução da gordura corporal total.

A alimentação desequilibrada, com alta ingestão de gorduras saturadas e carboidratos simples, provoca um aumento na formação de gordura no organismo.

Além disso, deve-se estimular a prática de exercícios físicos ou de tratamentos estéticos, através do uso de correntes (aussie ou russa), auxiliando no fortalecimento muscular, flacidez e ativação do sistema veno-linfático. Estudos apontam que a corrente aussie é uma estimulação sensorial mais confortável para o paciente, sem comprometer a eficiência fisiológica do tratamento.

Para redução do edema, consequente desta retenção de água acentuada no tecido conjuntivo, é necessário reduzir o consumo de alimentos ricos em sódio, presente no sal de cozinha, embutidos e sopas em pó, por exemplo, e incluir alimentos ricos em potássio, como feijão, grão de bico, batata baroa e tomate.

Aumentar o consumo de água é também importante, para a eliminação das toxinas.

Ativos botânicos com capacidade de auxiliar na ativação da circulação, no metabolismo lipídico e na drenagem linfática, administrados por via oral ou tópica, como cremes, géis ou loção, podem trazer benefícios ao tratamento. A cafeína atua no tecido adiposo ativando a queima de gordura. A castanha da Índia, por exemplo, é antiinflamatória, antiedêmica e melhora a tonicidade das paredes venosas. A centella asiática atua nos fibroblastos, estimulando o colágeno e a circulação.

O consumo de chás a base de ervas estimulantes do sistema linfático (drenantes), lipolíticas e diuréticas reduzem o inchaço, como: cavalinha, abacateiro e dente de leão.

Para ler mais sobre como tratar a celulite com eficiência[parte 2] clique aqui

Depoimentos