(21) 3026-6335/2148-2666

Como sair do efeito Platô?

Como sair do efeito Platô?

É muito comum perder peso facilmente logo no início de uma dieta. Por que isso acontece ?

Em torno de 70% da perda de peso durante os primeiros 5 dias de dieta caloricamente restrita se deve a perda de água. Além disso, a progressiva perda de peso gera uma diminuição das necessidades energéticas, uma vez que o gasto energético diminui conforme ocorre uma diminuição do nosso peso corporal, principalmente se o indivíduo estiver realizando uma acentuada restrição calórica, a qual esteja induzindo à perda da Massa Corporal Magra, o que não é nada bom.

Há também outra teoria, denominada Teoria do “Set Point”. Nosso corpo é programado por mecanismos fisiológicos, geneticamente determinados, para apresentar um determinado peso, ou um “Set Point”. Se desviarmos deste “Set Point”, nosso organismo realizará ajustes metabólicos para retornar ao peso normal. Isso é chamado de termogênese adaptativa.

Pesquisas sugerem que uma redução de 5% de peso resulta em uma redução de 15% do metabolismo basal, na tentativa de se recuperar o peso que foi perdido. Por isso dietas muito restritas fazem com que o metabolismo fique mais lento e muitas vezes o indivíduo volta a engordar depois.

O que leva ao fato de a pessoa continuar seguindo a dieta e, mesmo assim, não ver mais os resultados na balança? o conhecido Efeito Platô? Além das teorias descritas anteriormente que explicam por que isso pode acontecer, o individuo deve perguntar a si mesmo : houve alguns deslizes neste período? Reduziu a atividade física? Participou de algumas festinhas onde comeu a mais? Se a resposta for negativa a todas as perguntas, existem vários pontos que devemos analisar.

1. Se você iniciou agora um programa de exercícios, é comum o peso na balança aumentar um pouco, pois o ganho de massa muscular contribui para a elevação do peso, mas isso não quer dizer que você engordou.

2. A avaliação nutricional deverá levar em conta não somente o peso, como também a massa muscular e a gordura corporal, pois o músculo é mais denso e mais pesado que a gordura. Pode acontecer então de duas pessoas com o mesmo peso serem classificadas uma como magra e outra como gorda, ou seja, com mais quantidade de gordura corporal. Para se determinar essa porcentagem de gordura, é importante fazer um exame de bioimpedância de alta precisão, que, de forma eficaz e com alta precisão, mede a massa muscular e a gordura por segmento corporal.

3. Caso esteja desanimado, reafirme seu compromisso com seu novo estilo de vida, sinta-se feliz em ser saudável, procure variar suas receitas, saia um pouco da rotina, mude o tempero e renove seu programa de exercícios com seu professor para dar um novo estímulo. Você vai voltar a sentir prazer em se alimentar e praticar atividades físicas.

4. Procure mexer-se mais: aumente a freqüência na academia, vá de bicicleta ao trabalho ou salte do ônibus 2 paradas antes do destino, caminhe no fim de semana depois do almoço de família.

5. Faça um diário alimentar descrevendo tudo que come, inclusive as quantidades. Hoje existem aplicativos grátis que você pode baixar para seu celular e fazer suas anotações. Pode acontecer de estar comendo além do pré-determinado. Caso esteja seguindo direitinho as orientações passadas, converse com seu nutricionista. Deve estar na hora de fazer ajustes nos nutrientes da dieta.

6. Alguns alimentos podem provocar intolerâncias, decorrentes de processos imunológicos, que levam ao aparecimento de alguns sintomas, como: dificuldade de emagrecimento, enxaqueca, TPM, fadiga, falta de vitalidade, intestino preso, diarréia, inchaço, cólicas, insônia, dentre outros.

Um exame de intolerância alimentar  pode detectar esses alimentos, que são substituídos por outros durante um período determinado, sem causar deficiências nutricionais. A intolerância alimentar tem uma característica curiosa, ao invés de a pessoa evitar o alimento que faz mal, ela pode desenvolver inconscientemente grande atração ao alimento que lhe causa problemas.

7.  Cada individuo é único e pode metabolizar os alimentos de forma diferenciada.  Alguns alimentos são mais bem digeridos e absorvidos pelo organismo, dependendo da composição genética do indivíduo. Algumas pessoas absorvem melhor glicídios, que compõem açúcares de massas, do que lipídios, que estão presentes em gorduras. A partir da análise genética, é possível determinar qual tipo de alimento pode ser mais recomendado, estabelecendo a dieta adequada para cada um.

Depoimentos