(21) 3026-6335/2148-2666

Má digestão, azia e mal estar? Aposte nos fitoterápicos.

Má digestão, azia e mal estar? Aposte nos fitoterápicos.

Fitoterapia é o método de tratamento de doenças por meio das plantas medicinais e a forma mais antiga e fundamental de medicina da Terra, com a propriedade de curar males de forma não agressiva, pois estimula as defesas naturais do organismo. Sendo Fito=planta e terapia=tratamento, significa cura por meio das plantas.

Após diversas abordagens científicas e estudos, os fitoterápicos são reconhecidos por sua eficácia com baixos riscos de uso, o que permitiu a aprovação de diversas plantas para uso fitoterápico pelas autoridades de saúde, como a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no Brasil. Essas plantas podem ser prescritas por nutricionistas e constituem uma terapia complementar à prescrição do plano alimentar elaborado pelo profissional de Nutrição.

Por conta da vida agitada, causando estresse, e o tempo reduzido para se preparar as refeições em casa, muitas pessoas têm optado por refeições rápidas, como comidas prontas ou congeladas. O problema é que nem sempre essas refeições são balanceadas e saudáveis. Esses hábitos podem ocasionar processos digestivos difíceis, gerando desconforto e mal estar, o que pode afetar suas atividades de trabalho e de lazer.

Existem várias plantas que atuam no sistema digestivo, com propriedades hepatoprotetoras, laxativas, antidiarreicas, reguladoras da digestão, melhora do enjoo, estimulantes da produção da bile e da contração da vesícula biliar.

A alcachofra, por exemplo, auxilia na digestão, é hepatoprotetora, ajuda na excreção do colesterol via secreção biliar, reduzindo o colesterol sanguíneo.

O alecrim possui atividade antibacteriana , hepatoprotetora, anti-úlcera e anti- Helicobacter pylori: in vitro, provou ter efeito símile ao omeprazol.

Já a carqueja, ajuda a proteger o fígado, tem ação anti-úlcera , na redução da secreção gástrica e lesões provocada por estresse e etanol.

O boldo-do-chile, reconhecido popularmente por sua atividade hepatoprotetora, auxilia a ativação das secreções gástrica e salivar, melhorando os sintomas de indigestão, tem efeito laxativo e melhora a Candidíase vaginal.
Mas cuidado! Esta erva é contraindicada em hepatites, obstrução de vias biliares, gestação, lactação, crianças, e pode causar toxicidade, pois a boldina em doses elevadas é tóxica.

O psyllium, ou Plantago ovata Fork, é um laxante suave: atrai água para o intestino, aumentando o volume, a motilidade e a propulsão das fezes no intestino. Ademais, auxilia a reduzir o colesterol (a mucilagem reduz a reabsorção do colesterol) e o açúcar no sangue, pois diminui a absorção de carboidratos.

O romanzeiro, ou Pericarpium Punicae Granati, é antidiarreico e antibacteriano, atuando contra S.aureus, Streptococcus sp., Salmonella tiphy, Shigela desinterae, Proteus vulgaris,E. coli, Pseudomonas sp. Além disso, possui efeitos antiparasitários intestinais contra Taenia sp., Ascaris lumbricoides, Enterobius vermicularis.

A goiabeira é antidiarreica e antimicrobiana.

A tangerineira tem seus principais usos em dispepsias (má digestão de proteínas), distensão abdominal e flatulência, além de ser expectorante em gripes e resfriados.

A camomila, famosa por sua ação sedativa suave, auxiliar no sono e ansiedade, também tem propriedades antidiarreica e digestiva, melhorando as cólicas intestinais, digestão lenta, problemas biliares, gases e dispepsias.

A macela melhora a cólica intestinal, os gases, a diarréia e tem ação sedativa.

A Hortelã é antimicrobiana e antifúngica, auxiliando no combate à Candida sp.
Reduz gases e protege o estômago, reduzindo a secreção gástrica e aumentando a mucina, além de auxiliar na síndrome do cólon irritável. A hortelã rasteira é rica em óleo essencial mentona, um potente antiparasitário ideal para ameba e giárdia, com índice de cura de 70-90%.

O Gengibre, ou Rhizoma Zingiberis Officinale, conhecido por suas propriedades picantes, aromáticas e quentes, reduz náuseas, com bastante eficácia em hiperemese gravídica ( o famoso enjoo das grávidas). Protege o estômago e auxilia a digestão (extratos acetônicos e etanólicos), meçhora os gases, possui atividade inibitória do refluxo gastro-esofágico, além de seu efeito colagogo (provoca a secreção da bile). Esse gengibre é tudo de bom mesmo! É imunoestimulante, antiinflamatório, descongestionante e fluidificante das secreções das vias respiratórias, atuando nas gripes, resfriados, sinusites, rinites e asma. Porém, seu uso deverá ser cauteloso em pacientes hipertensos e contra-indicado nos casos graves.

O funcho tem seu uso antigases, nas dispepsias e melhora da digestão, evitando a azia.

A Espinheira-santa, muito conhecida popularmente por suas propriedades digestiva, tônica e depurativa, é considerada antiulcerogênica : semelhante a cimetidina, devido a friedelina, friedelanol e taninos condensados, reduz a incidência de úlcera induzida por aspirina, diminuindo a secreção de HCl no estômago.

Os fitoterápicos são obtidos a partir de plantas medicinais e são, exclusivamente, derivados destas através de vários mecanismos, como: extrato, tintura, decocto, macerado, pós, infuso e princípio ativo, que é uma substância ou um grupo delas, quimicamente caracterizadas, cuja ação farmacológica é conhecida e responsável, total ou parcialmente, pelos efeitos terapêuticos do produto fitoterápico.

As plantas medicinais contêm substâncias ativas que curam quando administradas na dosagem correta, mas podem prejudicar a saúde ou levar ao óbito, assim como qualquer medicamento, quando ingeridas em excesso.

Escolhendo-se devidamente a estrutura vegetal a ser utilizada (raízes, caules, folhas, flor, fruto ou semente) oferecendo a quantidade certa e a melhor forma de preparo, garantem um melhor funcionamento de suas propriedades terapêuticas. Procure um nutricionista funcional e ortomolecular para utilizá-las de forma adequada.

Depoimentos