(21) 3026-6335/2148-2666

Exame Nutrigenetico 2

Exame Nutrigenetico 2

Vamos á segunda parte do teste do meu perfil genético: MINHAS NECESSIDADES NUTRICIONAIS, MEU METABOLISMO E FATORES METABÓLICOS DE SAÚDE

Possuo variantes genéticas associadas a níveis mais baixos de vitamina B6, B12 e vitamina E e devo, por isso, incluir alimentos ricos nessas vitaminas e sempre checar sinais, sintomas e realizar exames bioquímicos com frequência para evitar carências. Minha vitamina B12 realmente estava baixa, aumentei o consumo de alimentos-fonte e estou usando uma suplementação também. Checarei em novo exame bioquímico em breve. Minha vitamina B6 está ok, mas incluirei sempre ela em meus pedidos de exame. Importante também não exceder níveis recomendados de vitaminas! Doses de Vitamina C acima de 500mg podem afetar a disponibilidade de vitamina B12 dos alimentos. Indivíduos que usam 1 g ou mais de vitamina C por dia podem desenvolver carência de vitamina B12.

Quanto a genes relacionados à obesidade, meu perfil genético indica uma predisposição média para estar acima do peso. Bom resultado, pois, se fosse acima da média, minha preocupação seria bem maior! Apesar disso, minha genética diz que tenho facilidade de recuperar o peso perdido, logo, tenho que estar sempre atenta para evitar o efeito sanfona.

A adiponectina é um hormônio produzido por células de gordura e tem como função fazer o fígado e músculos pegarem a gordura e usá-la como fonte de energia, “queimando” a gordura. Pessoas com meu genótipo foram associadas a níveis “típicos”. Ainda bem, pois quem tem níveis baixos deve usar artifícios para aumentá-la, como aumentar a atividade física e usar alguns alimentos específicos.

Meu perfil genético se assemelha ao de indivíduos apresentando níveis baixos de

colesterol HDL. Portanto, tenho uma possibilidade maior do que a média de ter níveis baixos de colesterol HDL, o colesterol que “varre” o mau colesterol do sangue. Não me preocupei, pois além de eu praticar atividade física regular e ingerir alimentos que aumentam a HDL, como o azeite, possuo possibilidade média de ter níveis altos de colesterol LDL, considerado o colesterol perigoso. Que bom, pois se tivesse “Alta” ou “Acima da média”, seria pior.

Quanto às gorduras, possuo tendência a possuir níveis sanguíneos diminuídos de ômega-6  e ômega-3. Minha conduta foi aumentar o consumo de peixes para um mínimo de 3 x por semana, incluir a semente de gergelim no meu suco verde e passar a usar o óleo de cártamo e o ômega 3 em forma de suplemento.

Meu metabolismo não é rápido, isso já sabia, pois nunca tive muita facilidade para perder peso mesmo! Mas minha força de vontade, inclusão de bons hábitos e determinação venceram a genética e nunca mais voltei a engordar! No próximo blog, falarei sobre MINHA DIETA propriamente dita e a melhor atividade física para eu perder gordura! Clique aqui!

Depoimentos